Translate this page:

São Paulo

Lá estava eu com algumas milhas no Smile, e muito longe de poder completar quantidade suficiente para adquirir um bilhete prêmio, quando de repente a Gol lança uma promoção de resgate de passagen por apenas 1.000 milhas! Álias, tô só esperando esta promoção voltar. Então comprei passagens para Sampa e Foz do Iguaçu, ida e volta, pagando só as taxas que não pasaram de R$20 por trecho.

Fiz minhas malas, fui pegar meu voo com destino a Congonhas, e no embarque encontrei uma amiga que perguntou: o que você vai fazer em São Paulo? E quando respondi que ia a turismo, logo vieram as gargalhadas. Bem, estou aqui pra dizer que não é pra se rir não, São Paulo não é só capital da grana, mas também da cultura, e tem muitas atrações turísticas. E também venho dizer que o Rio de Janeiro é melhor que São Paulo e ponto, é claro! =) 

Fórmula 1 São Paulo Jardins
Passamos 4 noites e 5 dias em São Paulo, e não ficamos um dia sem ter nada para ver. Desermbarcamos em Congonhas, que sem dúvida é um péssimo aeroporto, ainda mais se comparado com o Santos Dumond que sofreu reformas e não ficou abandonado como Congonhas ficou, além de ser perigoso em seus arredores, e você realmente não pode tirar o olho das malas nem por um segundo, pois é tão bagunçado quanto uma rodoviãria. Tá, não é o pior aeroporto do Brasil, mas é uma porta de entrada vergonhosa para uma cidade tão importante quanto São Paulo.

Do aeroporto até o nosso hotel gastamos uns 20min e outros R$30. Nos hospedamos no hotel Formula 1 do Jardins, e não podiamos ter escolhido melhor, tudo perto a pé, e numa área bem segura e tranquila. E de taxi você não gasta mais do que R$20 para ir a qualquer ponto turístico da cidade (sem engarrafamentos). O metro fica um pouco longe, e vai render uns 15min de caminhada, mas de lá você estará conectado a qualquer canto da cidade.
A diária custou R$120 para até 3 pessoas, mas sem café da manhã, e toda dia saímos cedo e famintos para o primeiro pé sujo que vimos. E atenção àqueles que viajam com menores (amigo dos seus filhos, sobrinho, neto, sem o pai), eles são rígidos e durante todos os dias da nossa estadia barraram pessoas que queriam se hospedar e não tinham carta de ambos os responsáveis autorizando, o que achei certíssimo, pois vem proteger crianças que sofrem abusos, ou são sequestradas e etc.

Mercado Municipal
Chegamos ao hotel e já largamos as malas e seguimos em direção ao centro. Primeira parada foi o Mercado Municipal e a Rua 25 de Março, e a primeira impressão foi péssima! Fiquei assustada como uma cidade pode ser tão suja... a cada passo eu tinha náuseas. Não é porque sou fresca, é que tinha fezes de mendigos, além do lixo, urina, e sujeira por toda parte nos arredores do Mercado. Uma vez lá dentro o aroma mudou bastante, para melhor, mas vale a atenção a este problema.
Compramos frutas e várias outras coisas para levar pra casa, já no primeiro dia de viagem, e comemos o famoso sandwich de mortadela, e bolinhos de bacalhau, mas tem de cair no tapa para pegar uma mesa.

Monumento às Bandeiras
O Parque Ibirapuera é a principal atração turística dentro desta Metrópole, sendo um Oasis de tranquilidade. Não deixe de ir ao Planetário, cuja entrada é cerca de R$15.
A noite vá ao Hotel Unique, e tome um drink à beira da piscina no restaurante Skye, e se tiver com fome recomendo a pizza que é deliciosa. E não se esqueça de se preparar para esperar por mais de uma hora na fila para poder subir ao restaurante, e de levar ao menos R$60 por pessoa. Vista-se bem! os cariocas não tem esta preocupação, já os paulistas são bem vaidosos e é capaz de te barrarem nos lugares por isto... eu estava de tenis, jeans sujo e descabelada, com um casaco maltratado... enquanto que as demais pessoas normais estavam no seu salto Christian Louboutin e com bolsas da Chanel, ou em seu terno Hugo Boss. Acho que só não me pararam por causa da pinta de gringo do meu namorado.

Skye, hotel Unique
A vista do restaurante é linda, e subir lá para vê-la, felizmente é de graça, e o público é do jet set. Venta muito, então leve casaco e prepare-se para ter os cabelos ao vento.

No dia seguinte fomos ao Mosteiro de São Bento bem a tempo da missa, e recomendo, outra atração a não perder, seja religioso ou não por sua beleza. A missa fica cheia! Então se pretende assisti-la chegue cedo, caso contrário chegue um pouco antes do final para admirar o edifício e aquela multidão lutando por um lugar na porta.
Mosteiro de São Bento
Seguimos até a Estação da Luz, evitando o horário de pico é claro, não queremos ser massacrados pela multidão, nesta estação que é uma das mais lotada de São Paulo, e talvez a mais caótica.

Estação da Luz
Cruzamos o Parque da Luz até a Pinacoteca onde vimos mais uma obra de Niki de Saint Phalle, a Fonte de Nanás, a terceira obra da artista que vi, a primeira em Zurique, a segunda em Duisburg. Na obra principal em exibição era possível deixar a sua mensagem, e eu não perdi a oportunidade de deixar a minha.
Pinacoteca
Circulamos pelo Vale do Anhangabaú, ainda bem cedo no final de semana e passamos pelo Teatro Municipal que é lindo, mas infelizmente só é possível visitar agendando com antecedência.

Teatro Municipal
Seguimos até a Catedral da Sé, que é mais bela e imponente por fora do que no seu interior, e ao  seu redor, na Praça da Sé há apresentações de rua, e até gente fazendo Le Parkour.

Catedral da Sé
O bairro da Liberdade é outra parada obrigatória, onde há a maior comunidade japonesa fora do Japão, e por sorte fomos ver o bairro em meio ao festival Tanabata Matsuri, nos deparando com ruas extremamente coloridas e bilhetes com pedidos espalhados pelas árvores. Também demos a sorte de assistir a um show de uma artista Japonesa vinda do outro lado do mundo só para este festival. O que me impressionou foi ver todo mundo cantando com ela, em japonês!

Liberdade
Não perdi a oportunidade e entrei em um mercado recheado de comidas japonesas, e fiz umas comprinhas... era tanta coisa esquisita!!! Desde sushis prontos a comidas bizarras que eu não faço ideia do que sejam.
Liberdade
Para nossa penúltima noite fomos a restaurante Terraço Itália... só para quem pode! (ou como no bandejão o ano inteiro e junto dinheiro suficiente para gastar em um jantar luxuoso uma vez ao ano). Só o couvert vai de R$20 a R$40 por pessoa de acordo com o salão, e nos fomos ao salão nobre, e pagamos R$20/pessoa pra comer pão. Tomamos nada mais que uma sopa de aspargos e uma massa com frutos do mar (com algum nome italiano chique), além de um vinho e sobremesa. Quanto deu a conta para dois no total? Você quer saber né? com couvert e serviço deu R$350... aproximadamente: couvert R$40, vinho R$120, sopa R$40, pasta R$80, sobremesa R$20, água R$20.

Restaurante Terraço Itália
Também há menu degustação, a partir de R$150 por pessoa com 4 pratos. A vista mais uma vez é maravilhosa, mas preferi a do Terraço do Hotel Unique. A comida estava excelente, e portanto não me arrependi ao gastar tanto, e a noite foi ótima, com o restaurante praticamente vazio, só pra gente e em clima romântico. Sem falar que eu não precisei fazer reserva! pode manter meu habito carioca de aparecer sem hora marcada e ter mesas disponíveis, o que me surpreendeu já que é um restaurante chique e achei que isto não seira possível.

Restaurante Terraço Itália
Comemos em um ótimo restaurante mexicano na Vila Madalena, mas infelizmente não lembro o nome, e além de bom foi barato. Os últimos dias foram para esbanjar, e dei um pulinho na Daslu! Encontrei um leitor do blog, o primeiro! o Ronei, que pediu conselhos para sua viagem a Londres. Fiquei muito feliz em encontrar um leitor do blog e tê-lo de guia em sua cidade, nos encontramos em Liberdade e nos encontramos mais uma vez para ir a Daslu. E haja coisa cara! eu realmente não entendo como alguém compra um vestido por R$15.000 sendo que a ele custa R$3.000 em Londres e as passagens R$6.000 na classe executiva... mas enfim, ao menos você não precisa perder 48h para comprar o vestido e sim 48min já que fica ao lado de casa.

Daslu
Não comprei nada lá, apenas rodei pela loja... que estava vazia, e como estava mega mal vestida, como de costume (só me visto se for para ir a algum lugar ou encontrar alguém realmente importante) e portanto nenhuma vendedora me perturbou.
No final gostei de São Paulo, e tem sim muito o que ver na cidade, mesmo que você não goste de museus, como você pode ver, fomos em poucos.

Um comentário:

Sara disse...

Ir de férias é uma das coisas que eu gosto de fazer a esperança de que em algum momento têm a oportunidade de fazê-lo porque eu gosto de experimentar a comida, mas os melhores lugares para comer eu sei que são restaurantes em sao paulo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...