Translate this page:

Berlin

Deixamos Dresden, e seguimos para Berlin. Nos hospedamos em apartamento de amigos, um tanto longe do centro da cidade.
Era para ser o climax da viagem sobre quatro rodas para mim. A cidade mais esperada, o objetivo da viagem! Contudo, não foi bem assim, foi até decepcionante. Muito pouco da história da cidade e sua importância e visto lá, ou minha expectativa é que era muito alta.

Vi muitos musues sim, mas nada me surpreendeu como em Dresden ou Praga. A cidade é maravilhosa, exatamente como eu esperava quanto a infraestrutura e o mix de gente de todas as tribos. Há, contudo, muitos pedintes e pobreza também, já que este é o destino de imigrantes que acabam vivendo a margem da sociedade. Não as critiquem ou menosprezem por suas atitudes incomodas, e pela forma de abordar os turistas, mas evite lhes dar muita atenção.

Prove dos sabores da Alemanha pelas ruas mesmo, frente a igrejas ou pontos turísticos, geralmente, encontram-se barracas vendendo comidas de todos os tipos bem baratinho, e são boas.

Nossa primeira parada foi na re-abertura da igreja mais antiga de Berlin, que passou por reformas. Estavam celebrando, e como não podia deixar de ser, havia muita comida típica boa e barata! A Igreja é chamada de Nikolaikirche, ou Igreja de São Nicolau. Foi construída em 1243 e sobreviveu à icnendios, guerras, depredação, e etc. Vale muito apena dar um pulinho

Se você é louco por museus como eu, compre o passe que te dá acesso a quase todos eles. Você pode adquirí-lo na "ilha de museus" (Museumsinsel), custa apenas cerca de €9 (não lembro ao certo) para estudante, eles aceitam a carteirinha brasileira.

Seu passeio deve começar por Alexanderplatz, de U-Bahn ou S-Bahn desça nesta estação. Ali você encontra grandes lojas, e segue para a torre de televisão de Berlim, Fernsehturm Berlim. Para visitá-la custa um pouco caro, e por já ter ido em várias, não fiz questão de ir nesta.
Saindo da praça, após ter ao menos visto de fora a torre, visite a ilha dos musues, Museumsinsel, um patrimônio histórico da humanidade.

Lá tem todo tipo de museus, os sobre as guerras, outros de arte, Igreja, biblioteca, e muito mais. Não deixe de ir a Berliner Dom, ou ao menos tirar uma foto dela, sendo o que mais chama atenção na ilha. Também não perca o Alte Nationalgalerie e Museu do Bode, os principais da ilha.

Caso vá ao café do Bode Museum, por favor, depois me explica o que é um "Frozen hot chocolate", porquê em minha ignorância não conheço e sou incapaz de imaginar...

Ande pela Bodestraße até sair na Unter den Linden, por onde você seguirá e verá Brandenburger Tor! Para quem quiser ter um carimbo da DDR e Deutsche Demokratische Republik em seu passaporte, leve-o consigo (apesar de eu não recomendar), há um senhor na frente do portão que faz tais carimbos, assim como em Machu Picchu.
Eu não deixei de pegar este carimbo de entrada na parte oriental e ocidental, marca da divisão da cidade.

Após o portão de Brandenburger, você verá o Tiergarten, um lindo parque/jardim.

Você pode seguir por dentro dele em direção a Potsdamer Platz onde encontrará o Sony Center, lá você encontra dentre outras a loja da Sony, e também a LEGOlândia, para os apaixonados por este "brinquedo". O telhado do Sony Center é de impressionar!


A quem quiser ver um resto do muro de Berlim, você pode ir ao museu do muro no Checkpoint Charlie.
Visite também o museu do holocausto, Jüdisches Museum Berlin ("Museu dos Judeus de Berlim"). Eu particularmente não gostei do museu. Ele foi construído de forma a te fazer sentir deslocado, em um ambiente estranho, como os milhares de judeus que tiveram de deixar o país indo para o desconhecido... bem, se a intenção era esta, eles conseguiram! Não me achei no museu, não entendi nada, nã capitei a ordem, por onde ele começa nem por onde ele termina. Desta forma ficou difícil acompanhar as histórias e curiosidades. Sua arquitetura é linda, e recomendo ir, mas espero que aproveite o passei por lá mais do que eu que fiquei perdida.
Lá você encontra o manuscrito da teória da relatividade de Einsten, dentro outras preciosidades!

No mesmo dia, você pode ir a Kaiser-Wilhelm Gedächtniskirche, ver o que sobrou da igreja construída em 1891, que não foi restaurada para ficar como lembrança da distruição da cidade durante a Segunda Guerra Mundial.

Quem quiser comer uma típica lingüíça de carne de porco bem apimentada, prato típico e fast food alemão, prove o Currywurst. Tem para o gosto dos fracos até o dos mais machos, com 5 níveis: nada picante, picante, um pouco mais picante, mais picante ainda, e pegando fogo! Adivinha qual é o favorito dos alemães?
Se puderem ir a um bairro turco, tomando os devidos cuidados com sua bolsa, coma o Düno Kebab do maior pé sujo que você puder encontrar, assim como os alemães fazem. Entre onde tem certeza que não encontrará um kebab feito no dia, se não perde a graça!

E fica a observação aqueles que como eu aproveitam a Alemanha para comprar eletrônicos: a maioria das grandes lojas só aceita dinheiro, não trabalham com cartões de crédito.

Tem muito mais a ser visto, como por exemplo o prédio do parlamento, Reichstag, mas vou parar por aqui.

Danke.

Tchüss!


4 comentários:

Thiago Carvalho disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Mundo Sem Fronteiras disse...

Oi Luiza, tudo bem?
Tenho lido muito em seu blog ultimamente e a cada vez me impolgo mais por viajar por ai!
Como sou estudante e tenho algumas contas para pagar, alem de ainda depender um pouco do dinheiro dos meus pais, não consigo juntar dinheiro para fazer meu mochilão.
Gostaria que você me desse alguma dica sobre como tornar uma viagem financeiramente viável.
Pensei em uma idéia (ainda é um projeto) para conseguir economizar em algumas coisas. Criei inclusive um blog para divulgá-la. o link é: http://projetomundosemfronteiras.blogspot.com/
gostaria de pedir seu apoio nessa idéia para que, assim como voce, possa sair pelo mundo aprendendo com os outros e levando um pouco de nós para fora.

Muito obrigado e continue sempre postando e nos atualizando de suas viagens!
Grande abraço

Luiza disse...

"Mundo Sem Fronteiras",

bem, também sou estudante, mas sem nenhuma conta pra pagar, o que é uma grande vantagem.
Todos os meus custos com transporte e material para faculdade são bancados pelos meus pais, já meus luxos como sair a noite são custeados por mim.
O que eu faço, primeiramente, é optimizar o dinheiro que recebo pra sustento na faculdade. Para quem acha que tenho mesada astronômica, já digo que é inferior à um salário mínimo. O que faço é forçar a galera a me dar carona pra faculdade, e ai economizo no transporte. Depois como só no bandejão da faculdade ou levo comida de casa, economizo na alimentação. Negocio livros e outros usados com colegas ou pego emprestado, economizando no material. Não saio muito, o que salva muito dinheiro.
E para gerar dinheiro dou aulas particulares de vez enquando... antes dava com muita freqüência mas ando enrolada para arrumas tempo, mas aulas particulares podem me render um salario mínimo por dia em um dia livre, ou um salário mínimo por semana em dias em que tenho pouco tempo livre... Veja só quanto dinheiro isto gera, o suficiente pra pagar as viagens e luxos desde que você não precise se sustentar. Recebo também ajuda de meus pais, que nesta última viagem me forneceram rcursos, eu fazia a viagem por conta própria e tive esta ótima surpresa assim que voltei, com isto já pego o dinheiro que tinha guardado e mantenho pras próximas férias.

Hoje em dia as passagens estão absurdamente baratas, o que ajuda muito, você pode voar pra Europa com R$1500 com sorte, antes não seria por menso de 5mil.
Mantenha-se sempre esperto com promoções de hotéis e passagens, eu pesquiso todo dia (já é um vício). Você pode pegar hotéis por 80% de desconto na última hora, e passagens de US$300 ida e volta pra europa (exemplo da Qatar Airways há dois meses atrás saindo de SP pra Barcelona).
Sites como Booking.com são ótimos pra pegar hóteis a preço de banana, mesmo os 5 estrelas!

O segredo é: economizar! Comer pão duro todo dia, e dormir nos melhores hotéis no final do ano nas férias. Sou uma pão-dura durante o dia-a-dia, pra curtir as férias.

abs,
lu

Luiza disse...

coop disse...

Luiza,
Td bem?
Nesse fim de semana quero ir para Berlim. Qual hotel/hostel vc indica? Como consigo o nr para obter o desconto nos hotéis do site da Accor hoteis? Será q lá tem o sightsseing?
Bjs
Quarta-feira, Setembro 29, 2010 3:50:00 PM


Resposta:
Cintia,
não fiquei em hostel, mas você pode procurar um com boas críticas em www.hostelsworld.com (estou tentando trazer links de descontos deste para o blog em breve). Também tem um que sempre uso: www.hihostels.com. Você pode ter certeza que os albergues serão bons na Alemanha.
O desconto da accor, está no final da barra direita. Anote o código, em seguida clique no link, e o site da accor aparecerá. Ai é só usar o código na pesquisa para reserva.
Os códigos mudam, uma vez que atualizo para novas promoções.

Sightseing sempre tem, basta entrar no site de turismo da sua cidade de destino, que sempre tem sugestões e empresas que fazem. Tem os ônibus turísticos, uma boa opção, eles param em Brandenburger.
abs,
lu

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...